✈ BUSQUE MILHARES DE CURSOS NO EXTERIOR AGORA » CLIQUE AQUI.

INTERCÂMBIO

Publicado em: 12/01/2014 --- Última atualização: 24/07/2014

BD14769__thumb1[2]

TÓPICOS DESTA PÁGINA:

1. Sôbre Intercâmbio | 2. Passaporte e Vistos | 3. Vacinas | 4. Dinheiro | 5. Bagagem | 6. Seguro Viagem | 7. Passagem Aérea e Voos | 8. Carteiras Internacionais de Descontos | 9. Recepção no Aerporto | 10. Acomodações

BD14769__thumb1[1]

MP90039007718

1. Sôbre Intercâmbio

Inicialmente, a palavra intercâmbio designava unicamente programas que envolviam a viagem de um estudante do país A ao país B e do país B ao país A, sempre reciprocamente. De praxe, o estudante do país A era acolhido pela família do estudante do país B e vice-versa. A partir dos anos 1980, os programas se diversificaram e atualmente o termo designa qualquer período de estudo de uma pessoa em país estrangeiro para seu aperfeiçoamento educacional ou profissional.

Assim sendo, nos dias atuais, intercâmbio estudantil, intercâmbio cultural, ou simplesmente intercâmbio, deve ser compreendido como qualquer tipo de estudo no exterior. Essa é a definição mais abrangente e popular da palavra.

Seu desenvolvimento se deu de forma paralela ao desenvolvimento industrial da Europa e posterior à Reforma Protestante, quando uma visão de mundo mais ampla se tornava essencial para acompanhar a evolução científica da época. Destarte, era dada aos jovens a possibilidade de sair de seus países para estudar e conhecer culturas diversas.

Uma experiência de intercâmbio serve tanto para a vida pessoal quanto para a profissional. É turismo, mas, também educação.

Fazer intercâmbio significa ir ao exterior com o intuito de aprender mais e praticar outro idioma, ter experiência internacional com a cultura e com o dia a dia da cidade e do país, passear, viajar, conhecer lugares e pessoas diferentes, enfim, vivenciar um aspecto cultural internacional totalmente novo.

Intercâmbio é educação internacional. Ser intercambista é conhecer hábitos, tradições e culturas de um país e povo estrangeiro. É muito mais do que apenas visitar um país. Significa vivenciar a cultura local, desbravar novos mundos, aprender a se virar sozinho, abrir a mente e ampliar conhecimentos.

O intercâmbio está presente em praticamente todos os países do mundo e, como ocorre independentemente de características geográficas ou climáticas específicas, pode ser oferecido durante todo o ano.

A melhor maneira de obter fluência em um idioma é estudar no país onde ele é falado, e essa é a combinação perfeita para um aprendizado rápido, eficiente e duradouro.

Intercâmbio é um diferencial no currículo profissional e uma vantagem no mercado de trabalho.

Hoje em dia, escolas, universidades, empresas estrangeiras, todos querem brasileiros. Assim sendo, a experiência do intercâmbio torna-se ainda mais valiosa.

Atualmente, o produto mais vendido pelas empresas especializadas é o curso de idioma, seguido por high school (ensino médio) e cursos de férias. Os estudantes que vão estudar fora ficam, em sua maioria, entre um e três meses. Porém, o segmento de viagens de média duração, entre quatro e seis meses, está obtendo um grande crescimento. A maioria dos estudantes tem entre 18 e 30 anos, no entanto, existem cursos no exterior para praticamente todas as idades.

De forma geral, o Canadá tem sido o destino mais procurado e também com maior crescimento em áreas como idiomas, high school, cursos de férias e programas que aliam estudo e trabalho. O país só perde para os Estados Unidos no tema graduação e pós-graduação. Outros países procurados, além de Canadá e EUA são Reino Unido, Irlanda, Austrália e Espanha. O país mais desejado, porém, é a Nova Zelândia, cujos maiores obstáculos são a distância e o preço da passagem.

Como pôde notar acima, o intercâmbio para países de língua inglêsa se destaca de forma incontestável sôbre os países de outras línguas.

Os principais destinos para os quais PLAFintercambio opera são os de língua inglesa: África do Sul, Austrália, Bahamas, Barbados, Belize, Canadá, EUA, Irlanda, Malásia, Malta, Nova Zelândia, Reino Unido, Singapura. Outros destinos podem não estar citados aqui ou, podem vir a fazer parte em futuro próximo, por isso, o melhor a fazer é consultar PLAFintercambio.  Algumas escolas com as quais trabalhamos são redes, logo, ainda é possível encontrar locais e línguas diferentes, como espanhol, francês, alemão, italiano, etc.

Principais Programas Oferecidos pelas Escolas do Exterior

Au pair, colegial, curso de idioma com possibilidade de trabalho, estágios remunerados ou não remunerados, graduação, pós-graduação, profissionalizante, extensão universitária, idioma combinado com interesses específicos, idioma geral, MBA, idioma para negócios, programas para a família, para a terceira idade, programas de férias para adolescentes, jovens e adultos, treinamento para professores, preparatório para exames (TOEFL, MICHIGAN, CAMBRIDGE FCE/CAE/CPE, GMAT, IELTS, TOEIC, etc.). As definições desses programas podem ser acessadas AQUI.

O Que Entra no Custo Total de um Programa de Intercâmbio

Curso; taxa de matrícula; acomodação; taxa de acomodação; taxa de remessa de valores para o exterior; passaporte; taxa de visto consular; passagem aérea; taxa de embarque (ida e volta); seguro-saúde; taxa da operadora no Brasil; traslado em aeroporto; alimentação; transporte; gastos pessoais; gastos com artigos de higiene, com roupas da estação, etc.; passeios turísticos.

BD21318_10_thumb19[1]

Travel

2. Passaporte e Vistos

Passaporte é o documento de identidade internacional do estudante no exterior.  O Passaporte brasileiro é um documento obrigatório para quem quer viajar para outro país, com exceção dos países do Mercosul, onde a identidade brasileira também é válida.

Ao decidir viajar para fora do país, a primeira coisa a se fazer depois de resolver o destino, o que fará no local (estudar, trabalhar, estágio etc.) e o período de estadia, é providenciar o passaporte. Se já possui um, é necessário verificar a sua validade. Caso esteja vencido, é preciso tirar outro o mais breve possível. Alguns países exigem que o passaporte tenha no mínimo 6 meses de validade para emitir o visto. Não deixe de levar isso em consideração.

No Brasil o emissor de passaportes é a Polícia Federal.  A taxa de concessão de um passaporte comum é de R$ 156,07. Para renovar o mesmo, não se esqueça de levar o documento anterior. A concessão sem a apresentação dele, válido ou não, custa R$ 312,14.

A seguir, confira o que fazer para tirar o passaporte comum. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 194 ou no website da Polícia Federal.

1- Preencha o formulário eletrônico no site da Polícia Federal.

2- Será gerado um boleto para pagamento de uma taxa (que é de RS 156,07 para o passaporte comum). Atenção para este fato: a validade da guia é de 20 dias.

3- O sistema também realizará um agendamento da data em que será preciso ir ao posto da PF. Algumas unidades ainda não permitem o agendamento pela internet. Nesse caso, a recomendação é entrar em contato por telefone para saber como proceder.

4- No dia e horário agendados, vá ao posto de atendimento escolhido levando o boleto pago, o protocolo da solicitação e os seguintes documentos originais:

- Documento de identidade (para menores de 12 anos, pode ser a certidão de nascimento).

- CPF, caso o número desse documento não conste da identidade. Se a pessoa for menor de 18 anos, deve-se levar o CPF do responsável.

- Título de Eleitor e comprovantes de voto ou justificativa na última eleição (nos dois turnos).

- Para homens de 19 a 45 anos: documento que comprove quitação com o serviço militar obrigatório, para os que estão com idade entre 19 e 45 anos.

- Para os naturalizados brasileiros: Certificado de Naturalização.

- Se tiver passaporte anterior, é preciso leva-lo (esteja ou não válido).

5- Os agentes da PF colherão impressões digitais dos dez dedos e tirarão uma fotografia.

6- O solicitante receberá um protocolo com a data de entrega do passaporte (no máximo, seis dias úteis). É preciso ir retirá-lo pessoalmente, levando um documento de identidade. Se não for buscado num prazo de 90 dias, ele será cancelado.

No que se refere ao visto, na webpage de cada país nós trataremos melhor desse assunto.

Cada país possui regras próprias para a emissão de vistos, e a maioria exige esse tipo de autorização mesmo para quem vai estudar por poucos meses.

O visto é necessário para entrar na maior parte dos países, exceção dos que compõem o Mercosul. Alguns lugares, como os EUA, são mais rígidos nas exigências para obtenção de um visto, enquanto outros são mais flexíveis. No caso do Reino Unido, por exemplo, dependendo de quanto tempo o estudante vai ficar, o visto é dado na chegada ao país, enquanto que outros exigem um visto obtido no Brasil antes da viagem.

Independentemente das exigências de cada consulado/embaixada para obtenção de visto de entrada, é necessário que o aluno esteja matriculado em uma escola no exterior e que já tenha em mãos um documento chamado “Acceptance Letter”, ou Carta de Aceitação. É com esse documento em mãos e outros mais, que será possível obter o visto para entrar no país.

Autorização de Viagem para Menores Desacompanhados

Caso o participante do programa de intercâmbio seja menor de 18 anos, é necessário apresentar autorização do pai e da mãe ou responsável para viajar. O documento precisa ser reconhecido em cartório e, muitas vezes, necessita da autorização de um juiz.

A Polícia Federal fiscaliza o cumprimento dos novos requisitos para autorização de viagem de menores ao exterior quando viajam sozinhos ou acompanhados de terceiros ou com apenas um dos pais ou responsáveis. A autorização para a viagem do menor deve ter a firma dos pais ou responsáveis reconhecida por autenticidade, ou seja, é necessário que os pais compareçam pessoalmente ao cartório. Além disso, o documento de autorização deve ser feito em duas vias, e conter fotografia da criança ou adolescente. Uma via deverá ser retida pelo agente de fiscalização da Polícia Federal no momento do embarque, e a outra permanecerá com a criança ou adolescente, ou com o acompanhante. Ao documento de autorização deverá ser anexada cópia de documento de identificação da criança ou do adolescente, ou do termo de guarda, ou de tutela. O documento deve ter também data de validade fixada pelos pais ou representantes legais. A nova norma é resolução nº 74, do Conselho Nacional de Justiça, de 28 de abril de 2009.

Espaço Schengen – Países Europeus

Como é do conhecimento geral, os cidadãos brasileiros não necessitam de visto para entrar em qualquer um dos Países Europeus integrantes do espaço Schengen, quando estiverem se deslocando a turismo e por no máximo 90 dias.

Os Países integrantes do Espaço Schengen são a Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Itália, Islândia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Portugal e Suécia.

A isenção de visto não exime os turistas brasileiros do cumprimento de algumas formalidades de entrada no espaço Schengen, a saber:

1) Passaporte com validade superior a 6 meses;

2) Bilhete de viagem aérea (ida e volta) com permanência máxima de 90 dias;

3) Comprovante de alojamento;

4) Plano de assistência médica internacional com cobertura mínima de EUR 30.000;

5) comprovante de meios financeiros para manter-se durante a estada.

Fica a critério das autoridades fronteiriças de cada País a exigência do cumprimento destas formalidades.

Aos estrangeiros que não cumprem os requisitos acima referidos, pode ser recusada/dificultada a entrada no espaço Schengen.

BD14677_11_thumb3[1]

MP900308894[1]

3. Vacinas

Dependendo do destino da viagem, é necessário comprovar a imunização a algumas doenças. Países como Austrália, África do Sul, Malta, entre outros, exigem a comprovação, por exemplo, da vacina contra a febre amarela. Para não ter nenhum contratempo, confira com antecedência se o país para o qual irá viajar tem alguma exigência quanto a esse tipo de imunização. Além disso, é necessário também ter em mãos o Certificado Internacional de Vacinação. Na webpage da Anvisa para viajantes, é possível obter todas as informações referentes a esse certificado e outras orientações.

BD10308_6_thumb4[1]

MP900149068[1]

4. Dinheiro

Aconselha-se não levar muito dinheiro em espécie nesse tipo de viagem. Nos dias atuais, a melhor maneira de conduzir dinheiro durante a estadia de intercâmbio é através de cartões chamados Travel Money. Com eles, é possível recarregar a quantia que desejar. Ele também possibilita sacar dinheiro em caixas eletrônicos em todo o mundo. O cartão funciona como um cartão de débito e cobra uma taxa de US$ 2,50 por operação, sem percentual sobre o valor do saque. Além de ser prático, é uma forma mais segura de manusear o dinheiro.

ATENÇÃO: Desde o dia 28 de dezembro de 2013, pagamentos feitos com cartão de débito, saques em moeda estrangeira no exterior, compras de cheques de viagem (traveler check) e carregamento de cartões pré-pagos com moeda estrangeira terão incidência de IOF de 6,38%, o mesmo do cartão de crédito. Antes, o imposto pago era de 0,38%.

BD10358_7_thumb5[1]

dglxasset125

5. Bagagem

Antes mesmo de começar a fazer as malas, não deixe de conferir com a companhia aérea o peso máximo permitido das bagagens. Depois, procure se informar sobre as condições climáticas do local de destino na época em que for viajar. Assim, será possível levar roupas adequadas ao clima e a estação do país. Confira o que é e o que não é permitido levar dentro da mala, principalmente no que se refere a alimentos. E não deixe sua bagagem sem identificação. Importante: deixe para adquirir roupas de frio no país de destino.

BD14800_7_thumb3[1]

MP9004487301_thumb114

6. Seguro Viagem

Item indispensável para quem vai passar uma temporada estudando no exterior é o chamado seguro viagem. O seguro de saúde internacional é obrigatório. Não deixe esse componente de fora de suas prioridades, pois nunca se sabe quando um acidente pode acontecer. Para não correr risco, é bom providenciar logo. Existem alguns planos de saúde que cobrem despesas médicas obtidas no exterior. Verifique se o que você possui oferece esse serviço. Alguns países solicitam a comprovação do seguro viagem logo ao desembarcar. Isso pode ocorrer mesmo em países que não exigem visto para a entrada de brasileiros. Nós de PLAFintercambio temos a parceria perfeita para esse fim.

BD14801_6_thumb3[1]

MP9003998521_thumb1111

7. Passagem Aérea e Voos

A passagem aérea deve ser obtida assim que o pedido de visto for aceito. Quanto mais cedo, maiores são as chances de conseguir tarifas mais baixas. Se você for viajar na temporada de férias, tente comprar o bilhete aéreo com antecedência, pois a procura é grande. Como podem ocorrer alterações de última hora com voos e com aeroportos, confirme seu voo 48 horas antes do embarque. O aconselhável para voos internacionais é chegar ao aeroporto com 3 horas de antecedência. Outra dica importante é registrar seus produtos eletrônicos na Receita Federal dentro dos aeroportos antes de viajar. Fazendo isso, você evita qualquer possível transtorno com a alfândega, que pode afirmar que os produtos foram adquiridos no exterior. Também é fundamental fazer um check-list. Devido à quantidade de itens para organizar, não é uma boa idéia confiar totalmente na memória.

Quem vai fazer um curso no exterior pode aproveitar algumas condições especiais na hora de comprar suas passagens internacionais. Várias companhias aéreas oferecem vantagens interessantes para pessoas de 12 a 34 anos que comprovem estar matriculadas em algum curso no exterior, incluindo tarifas com descontos, paradas gratuitas em destinos de conexão e flexibilidade na alteração de datas. A maior vantagem, contudo é o prazo estendido entre os voos, que varia de três meses a um ano. Com relação aos descontos, não costumam ser grande coisa.

Para conseguir as passagens promocionais é necessário ter idade entre 12 e 34 anos e estar matriculado em algum curso no exterior – pode ser faculdade, pós-graduação, especialização, extensão ou simplesmente um curso de férias ou de idiomas. O melhor é entrar em contato com a companhia aérea desejada para saber qual o procedimento.

BD15034_8_thumb7[1]

MC900441461[1]

8. Carteiras Internacionais de Descontos

Quem é jovem, estudante ou professor e vai ao exterior tem a possibilidade de conseguir bons descontos nos preços das passagens de transportes locais, de pacotes internacionais e nos ingressos de atrações turísticas de vários países. Para isso, basta levar uma ou várias das conhecidas carteiras de descontos. As principais são a ISIC, a ITIC, a IYTC e dos Albergues da Juventude, YHA.

Carteira Mundial do Estudante - ISIC Cash Passport

A Carteira Mundial do Estudante – ISIC, é a única identidade estudantil reconhecida no mundo todo. É uma bandeira mundial de benefícios que, há mais de 40 anos, identifica e oferece milhares de descontos e vantagens a estudantes em mais de 120 países. A cada ano, mais de cinco milhões de jovens utilizam a ISIC em todo o mundo, tendo à disposição 42 mil benefícios. No Brasil, são mais de 10 mil estabelecimentos físicos e online.

Em novo formato, ISIC Cash Passport, o documento passa a ser multifuncional, permitindo, além da identificação estudantil, o uso como cartão de débito pré-pago para saques e compras físicas ou online, no exterior.

- Podem Adquirir: Estudantes de ensino fundamental, ensino médio, graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado, MBA e alunos em curso no exterior com duração mínima de 12 (doze) semanas. Estudantes de cursos pré-vestibulares e cursos técnicos podem adquirir a Carteira apenas no município de São Paulo, como prevê Lei Municipal. Estudantes de cursos pré-vestibulares e idiomas apenas em Brasília, em função de Lei Distrital. Estudantes de cursos técnicos apenas em Santa Catarina, em função de Lei Estadual. Estudantes de cursos técnicos e pré-vestibulares apenas em Porto Alegre, em função de Lei Municipal. Estudantes de cursos técnicos e pré-vestibulares apenas na Bahia, em função de Lei Estadual. Estudantes de cursos pré-vestibulares e preparatório para concursos públicos apenas em Mato Grosso do Sul, em função de Lei Estadual.

- Não Podem Adquirir: Alunos de cursos de inglês, informática, arte, teatro, culinária, acupuntura, yoga e todos os outros cursos livres que não sejam autorizados pelo MEC ou que não se enquadrem nestas condições.

A ISIC - Carteira Mundial do Estudante - É válida até o dia 31 (trinta e um) de março do ano seguinte ao da emissão. Custo: R$ 40,00.

Carteira Mundial do Professor

A Carteira Mundial do Professor – ITIC, é a única identidade do professor reconhecida no mundo todo. Criada em 1984, facilita a identificação dos profissionais de ensino e garante descontos e benefícios no Brasil e no exterior. A ITIC tem por objetivo facilitar e estimular viagens, promover o aprimoramento dos conhecimentos e aumentar a integração internacional entre professores e jovens de todo o planeta.

- Podem Adquirir: Diretores ou professores que lecionam há pelo menos 1 (um) ano com carga horária semanal mínima de 18 (dezoito) horas/aula, em qualquer uma das seguintes instituições de ensino: colégios, faculdades, universidades, cursos pré-vestibulares, cursos técnicos e cursos de idiomas.

- Não Podem Adquirir: Professores de ginástica, dança, artesanato, professores particulares, professores que lecionam menos de 18 (dezoito) horas/aula semanais nas instituições supra mencionadas, professores aposentados ou que não estejam mais exercendo a profissão.

A ITIC – Carteira Mundial do Professor – É válida por 1 (um) ano a partir da data de emissão. Custo: R$ 35,00.

Carteira Mundial do Jovem

O Jovem Card – IYTC, é um cartão internacional de benefícios para você que é estudante ou já não estuda mais, mas tem até 25 anos e ainda quer desfrutar de descontos e vantagens. Criado a partir da parceria entre a EYCA (European Youth Card Association) e o ISTC (International Student Travel Confederation), é aceito em mais de 100 países, principalmente na Europa, devido ao selo Euro<26, que garante mais de 100 mil benefícios no continente.

- Podem Adquirir: Qualquer pessoa, estudante ou não, com idade inferior a 26 (vinte e seis) anos.

- Não Podem Adquirir: Pessoas com mais de 25 (vinte e cinco) anos.

O IYTC - Jovem Card – É valido por 1 (um) ano a partir da data de emissão. Custo: R$ 35,00.

Carteira Mundial de Albergue

A Carteira do Alberguista – YHA, permite que você se hospede em mais de quatro mil albergues da juventude da rede Hostelling International, em 80 países.

- Não existem restrições para adquirir esta carteira.

A YHA – Carteira do Alberguista – É válida por 1 (um) ano a partir da data de emissão. Custo: R$ 40,00.

BD15035_7_thumb3[1]

MC910216398[1]

9. Recepção no Aerporto

A recepção no aeroporto é um ítem OPCIONAL no preenchimento do formulário de matrícula, mas, para muita gente será necessária.

Ao preencher o formulário de matrícula o estudante faz a opção de ter ou não o serviço de recepção em aeroporto. Se a opção for sim, o serviço funcionará da seguinte forma: quando o estudante chegar ao país, após passar pela imigração e retirar sua bagagem, alguém estará esperando por ele, geralmente com uma placa na qual estará escrito o seu nome, para levá-lo do aeroporto até a acomodação. Esse serviço é altamente recomendado para aqueles que estão indo a um país e não tem ninguém conhecido para recepcioná-lo. Vale lembrar que é a escola quem providencia tudo isso, mediante o pagamente de uma pequena taxa.

BD21340_7_thumb22[1]

10. Acomodações

Geralmente, o estudante internacional fica hospedado na casa de uma pessoa nativa do local, mas também pode se hospedar em uma residência estudantil ou hotel, ou até mesmo pode dividir um apartamento com outros estudantes. Há vários tipos de acomodações disponíveis:

Casa de Família (Homestay):

Esta é a mais comum e a forma de acomodação mais recomendada para quem vai ao exterior fazer intercâmbio, inclusive por causa do custo benefício.

As famílias são criteriosamente selecionadas para que possam atender padrões, requerimentos e regras da escola.

Algumas oferecem apenas o café da manhã, meia pensão (café da manhã e jantar) ou pensão completa (as três refeições). São mais seguras para o início do intercâmbio e bastante utilizadas por alunos de high school. Trata-se de uma das opções mais indicadas do ponto de vista do aprendizado, pois o convívio com a família possibilita um melhor uso cotidiano do idioma estrangeiro e um aprendizado mais rápido dos costumes locais. 

Residência Estudantil:

As residências estudantis normalmente oferecem vários benefícios como bar, academia, lavanderia, televisão, sala de jogos, restaurante criando um ambiente ideal para se interagir e fazer novas amizades.

Essa opção proporciona muito mais liberdade de movimentos, contudo, mais responsabilidade. É uma oportunidade excelente para estudantes do mundo todo se conhecerem, vivendo em um ambiente estudantil.

Apartamentos Divididos

Algumas escolas oferecem a opção de apartamentos, onde pequenos grupos de estudantes internacionais compartilham a independência de uma casa completa.

Esse tipo de acomodação não inclui refeições, mas todos os apartamentos são equipados com cozinha completa, máquina de lavar roupa e salas de estar e televisão.

Hotéis

São mais caros mas oferecem melhor localização, privacidade e conforto. São para os que tem um orçamento alto para gastar.

Albergues (Hostels)

Os menos indicados, sendo somente úteis para os estudantes que estão de passagem, antes de encontrarem um lugar definitivo. Albergues são basicamente lugares para dormir. Por isso mesmo são acomodações mais baratas.

Os quartos são divididos em múltiplas camas/beliches e quanto mais pessoas tiver no quarto, mais barato é o valor da cama (existem quartos com 3, 6, 12 ou mais camas).

Geralmente, os albergues não oferecem alimentação na estadia.

São esses os principais tipos de acomodação, mas, a lista não se resume somente aos citados acima.

BD15073_

Comentários